Quando quebrar não é suficiente.

A vida me causa espasmos
E eu permaneço ao chão
Um caco que não quer adentrar - e não vai! 

Uma ferida aberta, que jorra
Que glorifica o prazer de
Ainda suspirar - e sorrio! 

A vida me intensifica
E sobretudo, 
Acredito e cicatrizo - continuo!

2 comentários:

Sua vez.